17 de mar de 2016

Coluna da Ju: "Leve a vida leve"


Ah... a vida! 
Viver/ E não ter a vergonha/ De ser feliz”, nessa simples, mas complexa, parte da letra da música de Gonzaguinha (O que é, o que é?), me pergunto, por que que é que podemos ter vergonha de ser feliz? 
Esse não seria o sentido da vida? Justamente o que quer a filosofia investigar, o que quer a psicologia compreender? 
Mas, diante da vida e suas organizações, o que fazer? Cansaço, tristeza, dificuldades, dores... o desânimo, em alguns dias, parece tomar conta da gente... Mas e a esperança? E o que virá? E a alegria de superar uma dificuldade? E o cansaço que relata o trabalho/estudo bem sucedido? E a tristeza da saudade, que mostra como um amigo deixou marcas em nossa vida e nos ensinou? E a dor que evidencia o crescimento?... Então vamos à luta!
É preciso ter esperança para dar a cada dia um novo passo, apostando na vida como uma construção diária, curtindo as alegrias e aprendendo a lidar com as dificuldades, utilizando-as para nos fortalecer. 
Como diz o poeta/cantor: “Somos nós que fazemos a vida/ Como der, ou puder, ou quiser” pois a vida é “Sempre desejada/ Por mais que esteja errada/ Ninguém quer a morte/ Só saúde e sorte”. 
Para algumas pessoas, em alguns momentos da vida, a dor parece ser maior e aprisionar o corpo e os pensamentos, para essas pessoas há caminhos que ajudam a superar a dor e a construir novos sentidos para a vida. Além desejar saúde e sorte, neste post, colocamos indicações para quem está sentindo que precisa de ajuda para lidar com os sofrimentos da vida:
Ligação gratuita: 141

A vida fica melhor quando compartilhada

Juliana Peterle Ronchi
Psicóloga CRP 16/ 2496
Coordenadoria de Atendimento Multidisciplinar
Instituto Federal do Espírito Santo – Campus Venda Nova do Imigrante
28 3546 8600 ramal 8625